Crônicas

Por onde anda?

De tanto andar, de tanto correr, acabei perdendo a noção de qual a distância percorrida, nesta altura da minha vida. Comecei engatinhando. A seguir me pus de pé. Foram passinhos trôpegos, inseguros. Quantas quedas levei. Quantos machucadinhos banais marcaram-me a testa ancha. Quantas vezes meus pais me socorreram. E, quando eles mais precisaram eu estava […]

Continuar lendo


Pássaros no ninho

Ainda aprecio passarinhos na gaiola. Principalmente canarinhos amarelinhos, acostumados ao cativeiro, onde praticamente nasceram. Já aqueles cuja morada é a natureza, nada como deixá-los livres, enfeitando as árvores, voando soltos pelos ares. Hoje tenho um canarinho belga. Apelidei-o de Russinho. Ele, depois que me mudei, passa o dia inteiro na varanda de minha casa. Quando […]

Continuar lendo